Microsoft Azure: Como planejar e avaliar a nuvem do cliente de TI

Veja dicas e sugestões importantes para ajudar seu cliente a migrar os dados e otimizar suas cargas de trabalho na nuvem.

Publicado por Equipe Westcon em 19/01/2017

        

Microsoft Azure: Como planejar e avaliar a nuvem do cliente de TI

A base dos serviços gerenciados é, como o próprio nome já diz, serviços. Para o gestor que deseja começar uma prática de MSP (Managed Service Provider), é imprescindível definir qual o tipo de serviço que irá oferecer. No universo de MSPs, há espaço para todos os tipos de negócios, mesmo que o seu cliente trabalhe apenas com o suporte básico na nuvem, ou para uma prática mais completa de serviço, como o MSP, oferecendo desde avaliações até soluções avançadas de segurança.


O que é um Cloud Managed Service Provider?

Um Cloud MSP é alguém que ajuda seu cliente a fazer a transição para (e adotar) essa mudança de paradigma em tecnologia – ao guiá-lo em todos os aspectos de sua jornada na nuvem.

As ofertas de serviço gerenciado são desenvolvidas na forma de pacotes de serviço, combinando algumas funções. Dentro de cada função há um espectro de serviços que os MSPs podem fornecer, dependendo de suas capacidades e das necessidades de seus clientes. A maioria dos MSPs do Azure oferece sete áreas de suporte funcional:

1. Planejamento e avaliação da nuvem

2. Implantações/migrações para a nuvem

3. Gerenciamento de operações de infraestrutura

  • Gerenciamento de configuração
  • Automação/Dev-Ops
  • Backup e recuperação de desastre
  • Gerenciamento de identidade

4. Monitoramento

5. Otimização de custos

6. Segurança

7. Suporte

Neste texto, falaremos especificamente do item 1, de como planejar e avaliar a nuvem do cliente de TI. 

O último ano foi o ponto de mudança para a adoção da nuvem nas pequenas, médias e grandes empresas. A maior parte dos clientes apostou na Cloud, percebendo todos os benefícios que ela traz, mas nem todos têm conhecimento suficiente de tecnologia para construir uma estratégia robusta.

Por não terem visibilidade granular de sua infraestrutura de TI, os clientes das Revendas de TI não conseguem mensurar os benefícios em termos de custo, agilidade, velocidade e tempo de entrada no mercado que a nuvem pode trazer. E, muitas vezes, mesmo que estejam cientes dos benefícios, não sabem por onde começar e não têm certeza se seus sistemas, clientes, ferramentas e processos estão preparados para a nuvem pública.

Portanto, é essencial que o serviço gerenciado comece com uma avaliação para determinar de que forma e quais cargas de trabalho estão prontas para migrar para o Azure - lift-n-shift, por exemplo. Uma das coisas a se levar em consideração é se o melhor a fazer é a transferência de plataforma ou substituição por um novo modelo de implantação. Você, como parceiro de valor, pode fornecer para o cliente um roadmap, com orientações adequadas para otimizar sua carga de trabalho no Microsoft Azure e fazer uma migração sem grandes riscos.

Ao conversar com seu cliente, é bem provável que seu cliente tenha uma série de questões, querendo saber mais como solucionar os principais desafios que tanto a migração como a nuvem trazem para os dados. Pensando nisso, listamos a seguir as dúvidas mais comuns e explicitamos também de qual forma você poderá resolver as questões para transportar à área de TI e aos gestores maior confiança em todo o processo.


As principais questões apontadas em comum aos novos negócios são:

  • Como obter mais velocidade, agilidade e melhor desempenho para os ativos de TI?
  • Como decidir entre implantações de nuvem pública e nuvem privada hospedada? Como levar em consideração a estratégia de TI de curto e médio prazo? Como decidir quais aplicativos devem ser levados para a nuvem primeiro?
  • Preciso treinar minha equipe novamente após uma migração para a nuvem? Quais outras mudanças preciso fazer em minha equipe de TI?


Para poder responder a todas essas indagações, é essencial que seja feito todo um processo de planejamento e avaliação que consiste em:


Avaliar

Avalie o ambiente corporativo, a infraestrutura, a carga de trabalho e os aplicativos. Dessa forma, as organizações vão conseguir determinar quais aplicativos e dados podem ou não serem movidos imediatamente para um ambiente na nuvem, e quais modelos (nuvem pública, privada ou híbrida) serão suportados. 


Planejar

Crie mapas de infraestrutura baseados em desempenho e dependência de aplicativo e identifique a TI de sombra. É comum um aplicativo começar a ser migrado para um serviço de nuvem para ter conexões com vários tipos de outros aplicativos e sistemas. Por isso, é importante que os proprietários dos aplicativos entendam o impacto dessas conexões para poderem gerenciá-los. 


Visualizar

Agrupe aplicativos com base em dependências e interconexões, e ajuste agrupamentos com base em insights obtidos a partir do mapeamento da infraestrutura e da avaliação. A integração entre aplicativos geralmente é classificada em uma das três categorias: integração de processo (compartilhando funções), integração de dados (compartilhando dados), e integração de apresentação (compartilhando a interface do usuário).


Preparar

Determine a viabilidade da nuvem, a preparação e o custo de migração de grupos de aplicativos do cliente. Priorize aplicativos com base em sua pontuação na métrica de “preparação para a nuvem” e no nível de criticidade para o negócio do cliente. Dimensione qualquer outro recurso super ou subutilizado. Saiba lidar com quaisquer problemas de privacidade ou segurança.


Calcular

Calcule o custo total de propriedade para executar aplicativos implantados no local versus na nuvem com dados precisos sobre custo de mão de obra, infraestrutura, ferramentas, treinamento etc. Calcule também o ROI da migração do local para a nuvem.


Opções para desenvolver capacidades de avaliação

Na hora de avaliar, há muitos métodos e ferramentas que podem ser utilizados para se construir uma prática viável:

  • Monte uma equipe interna capacitada para conduzir avaliações, desenvolvendo listas de verificação, questionários e workshops para orientar seus clientes;
  • Se você não tiver uma equipe interna com essa experiência, considere fazer uma parceria com uma empresa de consultoria de TI com uma prática de nuvem;
  • Considere potencializar ferramentas, ou até mesmo criar uma, que possa analisar um ambiente local e mapear cargas de trabalho a fim de reduzir custos e aumentar a precisão de distribuição.


Agregando valor às avaliações de nuvem

Existem algumas maneiras de aumentar a funcionalidade básica para agregar mais valor às avaliações de nuvem. Veja algumas opções de valor agregado que Cloud MSPs fornecem como parte dessas avaliações.

  • Analisar todas as cargas de trabalho e estatísticas de desempenho no ambiente de TI do cliente, tanto físico quanto virtual, incluindo VMs, dados do histórico de uso, infraestrutura de rede básica, servidores e Data Centers.
  • Descobrir e visualizar todas as cargas de trabalho, desempenho de aplicativos, tráfego de rede e outras métricas, e fornecer ajustes de desempenho e orientações para otimização de aplicativos.
  • Descobrir, visualizar, recomendar opções de migração e fornecer ao cliente comparações de TCO entre soluções implantadas no local, na nuvem Azure e na nuvem híbrida.


Preparado para dar o primeiro passo? A equipe Microsoft Westcon está pronta para oferecer à sua Revenda de TI os melhores serviços e todo o suporte necessário para ampliar seus negócios na nuvem.


CTA

Comentários

Não há comentários para esse post, seja o primeiro a comentar.
Comentários são aprovados antes de serem publicados.

Comente